Maternidade real, a maternidade que eu não quero viver!

#MaternidadeReal a tag que pegou forte nos últimos tempos e que me deixa sem entender vindo de tantas mães que clamam pelo fim do julgamento materno.

Nos dias de hoje maternidade real parece vir daquela mãe que não tem tempo de manter sua vida muito organizada, a vida sempre corrida, filhos que fazem birra, não dormem a noite, aquela mãe que não consegue se cuidar, que come o que tiver na geladeira ou oferece qualquer coisa que não seja muito saudável por falta de tempo, ai depois de todo esse relado que  a gente está acostumada ler, você escuta, “aqui é maternidade real”.

Sem falar na opção de parto, maternidade real é passar mais de 24 horas com dores e sem analgesia, é amamentar até seila quantos anos…

E quando ainda falamos de uma mãe com um filho com deficiência, a coisa modifica e complica ainda mais, a maternidade real passa ser a mãe que não tem tempo para nada, pois o filhos tem milhões de terapias, médicos, exames e etc, a mãe precisa estar sempre cansada e nem sempre aceitar tão bem as condições do seu filho ou ela esta fora da maternidade real.

A impressão que eu tenho é que  maternidade real é como se o circo estivesse sempre pegando fogo, uma mãe triste, exausta, ao ponto de estar quase sempre  para explodir.

Que maternidade sofrida é essa? E se você não for assim, a sua maternidade não e real, é fake, é maternidade de redes sociais, se você teve cesária, não amamentou, se sua casa está organizada, se você está feliz, se você consegue dar conta de tudo que faz, se cuida, malha, passeia, viaja, sua maternidade é completamente julgada como mentira.

Se a maternidade real precisa ser tão caótica, eu passo! E faço votos pra que entre a  #maternidadeLeve a #maternidadeComRespeito a #maternidadeSemJulgamentos a #MATERNIDADEFELIZ mesmo diante de todas as dificuldades de ser MÃE.

Que em 2018 a maternidade real seja ser feliz!

see ya,

In

 

 

Publicar Comentário